terça-feira, 26 de abril de 2011

sonoro epitáfio

No canto da sala
eu ensaio, mudo
um halo de sons
presos na garganta

então você surge
nota dissonante:
traz o pensamento

e faz do dia noite
do ar, esteira de deitar
a cama palco de encenar

aqui jaz um músico
que jamais compôs
que jamais te tocou
nem parou de sonhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário